Caros Leitores, desde a sua criação o Blog Xapuri News, o intuito sempre foi de ser mais um espaço democrático de noticias e variedades, diretamente da Princesinha do Acre - Terras de Chico Mendes - para o mundo, e passará momentaneamente a ser o instrumento de divulgação das Ações da Administração, Xapuri Nossa Terra, Nosso Orgulho, oque jamais implicará em mudança no estilo crítico das postagens.

sábado, 29 de novembro de 2008

Enquanto Isso!!!

Charge do Final de SemanaNo melhor do toma lá dá cá, o jeito agora é fazer como a Petrobras pedir um dinheirinho emprestado para a Caixa....

Bem Amigos, desde quinta feira estou em terras rio branquenses, trabalhando, cuidando da saúde e tentando descansar, aproveitei para rever amigos e colocar assuntos interessantes em dia, principalmente sobre Xapuri, já que muitas história da minha querida princesinha iniciam por estas terras, fora que aqui a imparcialidade é o centro das discurssões...

Mas na segunda estarei como sempre na terrinha

Desejo a todos um excelente domingo e até segundona

Abraços

Saúde em Xapuri agoniza e população amarga caos

Comumente é de praxi de alguns Administradores quando estão prestes a entregar o cargo a desafetos políticos eleitos, sucatear a maquina administrativa na tentativa de ou de prejudicar o sucessor ou simplesmente para vingar-se daqueles que deixaram de depositar o voto de confiança quando da disputa eleitoral, e em Xapuri isso já se transformou em tradição cultural na turma política. Acredito eu, que a última transição de governo municipal de forma amigável, diplomática aconteceu no inicio da década de 90, quando o atual Prefeito passara na época a batuta para o Prefeito Eleito Juarez Maciel, que não foi tão cortez ao transmitir o cargo em 92 para o Prefeito José Menezes, que em 96 entregou uma verdadeira bomba atômica nas mãos do Prefeito Júlio Barbosa que em 2005 para quem não se lembra até as chaves do prédio administrativo da prefeitura, deixaram de ser entregues ao atual Prefeito Vanderley Viana e por via de regra o Prefeito Eleito para o quadriênio 2009-2012, Ubiracy Vasconcelos deverá ter suas fortes dores de cabeça quando do recebimento oficial da prefeitura, porque além dos problemas administrativos, não é de se esperar uma transição de cargo pautada nos conceitos da postura adequada aos homens públicos. Acredito que não há necessidade de dizer o por que, não é verdade caros leitores?

Bem, mas podem se perguntarem o por que desse retrospecto político para se falar da saúde? Por um fato muito elementar, já que essa postura de simplesmente deixar passar os dias para entregar a prefeitura ao novo prefeito, está prejudicando sobremaneira e envolvendo a população principalmente, aquelas mais necessitadas de políticas públicas de atenção básica, em uma verdadeira disputa de poder ainda que tardia que por sinal é sem sentido e do ponto de vista administrativo, irresponsável.

As duas áreas com maior problema e que afetam diretamente um percentual imenso de xapurienses é a Educação e a Saúde. A primeira prejudicada pela antecipação de encerramento do ano letivo, já que os professores de contrato provisório que são a maioria maciça do sistema municipal terão seus contratos reiscindidos a partir de 1. de dezembro, o que significa que não cumprirão os 200 dias letivos determinados pela Legislação Educacional, o que acarretará de certo, caso seja dado ciência ao Conselho Estadual de Educação a não validação do referido ano letivo, ou seja poderá até ocasionar simplesmente o cancelamento de um ano de estudos.

Na Saúde, o sistema agoniza, terminalmente fadado à morte. No quadro geral vemos a falta de medicamentos da farmácia básica nos centros de saúde, dispensa de pessoal, falta de profissionais para o atendimento, fora a desmotivação dos profissionais. Para se ter idéia sequer os Programas Federais, com recursos assegurados estão funcionando a contento, posso falar inclusive com conhecimento de causa já que sou paciente de dois deles. Cito inicialmente o Programa de atendimento aos diabéticos, que está de mal a pior. Primeiramente que sequer as fitas para o medidor de glicose, está tendo nos centros de saúde, ou seja uma coisa simples e primordial para se acompanhar o nível de glicose dos pacientes, não está acontecendo, depois o principal medicamento para o controle está em falta, os pacientes que necessitam da metformina para terem uma vida um pouquinho mais confortável estão a ver navios. Ainda tem um fato mais preocupante sabemos que 90% dos diabéticos necessitam exclusivamente do sistema público de saúde para atendimento e como nossos amigos xapurienses não estão tendo tal atendimento no município, procuram o Hospital local, que apesar de fazer o atendimento deixa bem claro e com razão que não é de sua competência tal atendimento básico, fora que os medicamentos para tais pacientes não estão contemplados na aquisição, devido a complexidade do atendimento não estar assegurado nas normas regulamentadoras do Ministério da Saúde no que diz respeito aquela instituição, também o hospital não é obrigado a cobrir do sistema municipal. E para os poucos que podem comprar o medicamento ou seu similar amargam no bolso como eu o preço dos mesmos.

O segundo programa que está irresponsavelmente praticamente abandonado pelo município é o de hanseníase, que em discordância com o Estado e Governo Federal que Caracterizam o programa Nacional de Combate à Hanseníase no Brasil, como alta prioridade, em Xapuri ele não tem importância alguma, já que os 12 pacientes atendidos pelo programa seguer estão com seus medicamentos em dia, devido à Secretaria Municipal de Saúde não dar a devida importância a esse tipo de tratamento. Para se terem idéia as pessoas portadoras da Hansen devem tomar no mínimo por num ano um medicamento altamente pesado do ponto de vista ambulatorial já que no decorrer do tratamento por ser uma droga que prejudica o sistema imunológico do paciente o DMT acaba colaborando para que inúmeros outros problemas ocorram. Por falar no medicamento DMT, importado da Índia e distribuído exclusivamente pela Saúde Pública com um controle imenso e que é fornecido pelo Governo Federal gratuitamente, e que não é encontrado sequer o seu similar na rede de farmácias, simplesmente não se sabe onde está em Xapuri ou quem de fato é o responsável pela guarda do medicamento, já que quando os pacientes procuram o centro de saúde Dr. Félix Bestene Neto, para receber o remédio, ouvem desculpas esfarrapadas de que uma hora está na Semusa, outra a pessoa responsável não se encontra, ou simplesmente para passar depois.

No Programa de Hansen com excessão do Biomédico Dr. Silvio que tenta fazer tudo pelos que procuram o laboratório para o diagnóstico, que incansavelmente tenta resolver os problemas via Rio Branco, que por sinal todas as vezes que eu o procurei ou simplesmente liguei procurou sempre com muita solicitude tentar resolver a situação, mas fazer o que se ele depende de estrutura e a Secretaria Municipal e esta pelo que percebi não está preocupada com a atual situação? Outro, profissional que também merece aqui o meu respeito é o Dr. Cleides, que ainda pelo que vejo está preocupado com a situação dos portadores de Hansen no município e que também as vezes que o procurei sempre demonstrou solicitude em me atender, a área de distribuição do medicamento ou de controle simplesmente não existe.

A minha maior preocupação é que sendo uma pessoa esclarecida e com bons contatos, não encontro entraves, porém, e aqueles que necessitam do mesmo atendimento, mas que infelizmente não podem ter o mesmo acesso, ou as alternativas que eu consigo viabilizar? Alguns dos pacientes são pessoas do interior que deveriam ter um acompanhamento, mais eficaz e que simplesmente recebem o medicamento, quando o recebem, mas que não tem acesso a uma avaliação terapêutica eficaz em relação ao pseudo tratamento. Para entenderem a situação, nessa semana por três vezes procurei o centro de saúde e não consegui receber o medicamento, necessitei vir a Rio Branco, para junto ao setor de Dermatologia do Hospital de Base, proceder avaliação e receber a medicação.

Por falar em Hospital de Base gostaria aqui de abrir um parênteses para o atendimento recebido. Procurei aquela instituição sem encaminhamento médico , sem agendamento prévio ou seja fadado a ter boas dores de cabeça para conseguir atendimento, enganei-me, fui muito bem recebido pela equipe do Dr. Franco Mariscal, pelas profissionais de área Rosy e Vânia, pela Fisioterapeuta daquela casa de saúde, pelo Biomédico e todos que ali trabalham. Me surpreendi pela agilidade da equipe e principalmente pelo atendimento humano que eles realizam, na manha de sexta eu fui atendido pela equipe de triagem, pela equipe laboratorial para verificação de diagnóstico, realizei avaliação na fisioterapia, consulta médica onde praticamente ocupei o Dr. Franco quase 1 hora tirando todas as minhas dúvidas, além de acessar medicamento para três meses, ou seja consegui resolver em uma manha, o que dificilmente faria em um mês em Xapuri.

Hilaricamente enquanto estava naquele setor duas pessoas de Xapuri também compareceram lá, queixando-se de problemas similares ao meu. A minha amiga enfermeira Dra. Alcirene que foi buscar medicamento para dois pacientes de Xapuri, já que segundo ela, estes tiveram o mesmo problema em receber tal remédio no já propagado Centro de Saúde, segundo o funcionário do hospital que também fora buscar tais medicamentos para pessoas que procuraram aquela instituição atrás de socorro, e olha que o hospital como eu já disse não tem nenhuma responsabilidade para com essa situação já que não é de sua competência o Programa de Hansen no Município, mas que bom que os profissionais daquela casa estão ajudando os pacientes que deveriam por obrigação serem atendidos pela Rede Municipal.

Bem se em dois programas a coisa está dessa forma, não deve ser diferentes nas outras áreas. Fico indignado, por que com saúde não se brinca, com pessoas doentes é primordial que se tenha respeito, o que a Secretaria Municipal de Xapuri está fazendo é antes de tudo uma monstruosidade com quem necessita de atendimento, por mais simples que seja, por mais que a equipe só tenha mais 30 dias para permanecer nos seus cargos, façam por merecer vossos salários e respeitem não somente a doença física, mas a cidadania dessa comunidade.

Sinceramente isso é caso de policia, cabe ação civil pública pelo Ministério Público, para que os responsáveis por esse caus sejam de fato responsabilizados e respondam legalmente pela omissão.

Que Deus nos ajude, e não nos permita adoecer!!! Pelo menos não em Xapuri...

Foram eleitos, mas podem não assumir

Para os que imaginam que as decisões eleitorais, encerraram dia 05 de outubro estão muito enganados, possivelmente, alguns dos eleitos não serão empossados, ou seja no melhor do ganhou mais não levou.

Acontece que este ano foi o marco inicial do movimento da Justiça eleitoral em moralizar os procedimentos eleitorais no Brasil e uma das medidas foi a institucionalização de uma legislação eleitoral fortemente caracterizada por procedimentos técnicos e alicerçados na lisura de todo o processo e uma das bases dessa transformação, compreende na divulgação dos gastos de cada candidato no período eleitoral.

Para melhor compreensão desse procedimento de prestação de contas é necessário frisarmos que em pleitos eleitorais anteriores, não se importava como se gastava o dinheiro o importante era se eleger, e dinheiro de campanha, era considerado dinheiro imaginário, ou seja, imaginava-se que gastava e esquecia de como se gastava e não era da conta de ninguém. Para a Justiça Eleitoral, cabia apenas caso houvesse excesso comprovado de abuso financeiro provar e punir, porém isso só ocorria quando algum Juiz Eleitoral realmente se interessava. No final de cada campanha inicialmente seguer era obrigatório os candidatos e comitês prestarem contas de seus gastos, e quando o faziam era baseados da seguinte forma: os candidatos faziam de conta que prestavam contas e a Justiça Eleitoral fazia de conta que analisava, ou seja não havia uma metodologia especifica, doutrinada em legislação para prestação de contas políticas, ou para sua análise.

Como o mundo gira e tudo muda, a coisa mudou e mudou drasticamente, a nova Legislação prevê controle nos moldes de contabilidade pública para a ação política , durante os período eleitoral cada candidato, coligação, comitês, obrigatoriamente sob pena de cassação do registro da candidatura deveriam ter apresentado prestações de contas parcial em dói momentos e Prestação de Contas Final, ao término do pleito eleitoral, sob pena de caso eleito, não ser diplomado e mediante isso não ser empossado. Em bom linguajar brasileiro... nadar, nadar e morrer na praia....

Como a preocupação com procedimentos burocráticos não é o forte de muito dos candidatos, estes deixaram de observar os procedimentos legais para os gastos de suas campanhas, deixaram de dizer de onde vieram as somas de dinheiros gastos nas campanhas, esqueceram de solicitar notas fiscais dos gastos, de registrar toas as despesas e por conseqüência, apenas para cumprir em parte a legislação entregaram suas Prestações de Contas sem movimentação e caíram do cavalo.

Como a muito a muito tempo não se vê em Xapuri, a equipe do Cartório Eleitoral foi composta por profissionais de ponta e altamente empenhada em cumprir a Legislação, desde o Dr. Anastácio Juiz Eleitoral, ao Sr. Fábio Chefe do Cartório, a Sra. Débora Técnica Judiciária, entre os demais funcionários, que corretamente estão observando minuciosamente as informações prestadas.

Praticamente todos os candidatos a Prefeito e a Vereador de Xapuri, já foram intimados a prestar esclarecimentos relacionados às suas despesas de campanha e muito deste dificilmente terá informações coesas que realmente explicam alguns dos sinistros encontrados , pior para alguns dos eleitos que devem ficar atentos pois podem perder o que conquistaram na urna. Também é inconcebível um vereador eleito dizer que gastou apenas R$ 400,00 (quatrocentos reais) em toda a sua campanha, ou melhor dizer que não gastou nada. E segundo informações, o Dr. Anastácio Correto como é, e altamente centrado em fazer o que é certo, dificilmente deixará inconsistências dessa natureza passar despercebida.

Caso o juiz Eleitoral reprove a prestação de contas de qualquer candidato eleito esse poderá dar adeus ao cargo conseguido e podem esperar que surpresas deve vir por ai.

Mais do que correta a do juízo Eleitoral de Xapuri em fazer cumprir as exigências legais que até agora não eram obedecidas e não adianta chorar nem espernear, agora é tarde...

Concurso da Polícia Militar acontece neste domingo

Candidatos ao Curso de Formação de Soldado fazem provas em seis municípios do Estado
Os 16.600 candidatos que se inscreveram para concorrer a uma das 600 vagas disponíveis para o Curso de Formação de Soldado da Polícia Militar do Acre fazem neste domingo, 30, a partir das 14 horas, a prova objetiva nos municípios de Rio Branco, Brasiléia, Tarauacá, Feijó, Sena Madureira e Cruzeiro do Sul. Os novos policiais irão compor o quadro da corporação que hoje é de, aproximadamente, 2.200 integrantes. Após o curso de formação, com duração prevista entre 8 a 10 meses, os salários passam de R$ 1.299,11 para R$ 1.811,58.

O comandante da Polícia Militar, coronel Romário Célio, em entrevista ressalta que é necessário que os jovens policiais, ao ingressarem na corporação, não cheguem em busca apenas de um emprego, mas com a consciência de que irão assumir um compromisso com a comunidade pelo cumprimento do lema da corporação: servir e proteger. "Sabemos que a demanda de segurança pública nunca diminui. A atividade é como um sacerdócio. Muitas vezes ele terá que abrir mão da família, dos amigos, em benefício da comunidade", diz o coronel Romário Célio.

Os aprovados serão submetidos à investigação criminal e social, de caráter eliminatório, para apurar se o candidato apresenta idoneidade moral. Esta fase do concurso é conduzida pelo Governo do Estado, por meio da Polícia Militar, e inicia desde a inscrição até a conclusão do Curso de Formação. Até ir para a rua, os alunos recebem instruções sobre polícia comunitária, direitos humanos, hierarquia e disciplina, entre outros assuntos que os capacitarão para desenvolver a atividade de policial.

Até 2010 devem entrar para a reserva, segundo projeção da Polícia Militar, 412 policiais. O planejamento do Governo do Estado prevê a distribuição de policiais em todas as regionais do Estado e de Rio Branco.

Hospital de Brasiléia é símbolo de descaso do Governo do Acre

Por Alexandre Lima - O Alto Acre
Novamente, o hospital Raimundo Chaar, localizado na cidade de Brasiléia (Acre), que atende quatro cidades da região do Alto Acre, vem mostrando um quadro pra lá de negligente no que se refere ao atendimento da população. Hoje, basta ficar cerca de dez minutos em frente ao hospital, para que funcionários e munícipes reclamem de alguma coisa.

Além de problemas estruturais e administrativos, pode-se dizer que, parece mais um grande posto de saúde do que mesmo um hospital. Nos últimos anos, o mesmo passou por reformas onde foram investidos cerca de um milhão de reais que pouco adiantou.

Rachaduras são vistas pelo prédio que foi erguido há mais de 50 anos. É comum pelas salas que já foram reformadas, infiltrações de água em dia de chuva. Exemplo fica na sala de pediatria onde são atendidas as crianças enquanto as mães com os filhos a tira-colo, aguardam sua vez no corredor por onde passa doentes ou alguém que chegue gravemente ferido, até mesmo onde a enfermeira chefe tira plantão, existe rachaduras.

Sem falar que, o prédio está há menos de cinco metros do barranco do rio que a cada ano que passa, aproxima-se do pátio onde ficam estacionados às ambulâncias e carros particulares. Até mesmo a atual diretoria comenta sobre a construção de um novo hospital em outro lugar com mais infra-estrutura.

Nos último meses, denúncias aumentaram por parte da população. Foi constatado que o hospital tem uma defasagem de profissionais essenciais que permaneçam na instituição, já que atende quatro cidades. Obstetra, pediatra, cirurgião e anestesista, fazem uma cansativa jornada de 15 dias trabalhando.

Segundo informações, o profissional de saúde na região, com exceção de alguns, é o que tem o menor salário no Estado, por isso, muito não querem trabalhar na fronteira além das péssimas condições de trabalho oferecidas. A situação até atinge os profissionais do SAMU, onde apenas o motorista e um socorrista tiram plantão. Em situações complicadas, chegam a pedir ajudar à terceiros.

O quarto que foi disponibilizado para que descansem e aguardem chamadas, é o que pode-se chamar também de descaso. As camas e colchões, foram comprados do próprio bolso e o ventilador, cada um traz de sua casa para não ficar no calor.

Os médicos não tem autonomia para liberar um carro caso precise. Deve-se primeiro ligar para a central localizada na Capital, passar o relatório, daí, um outro irá decidir se o paciente vai ou não. Minutos que podem ser essências para salvar uma vida que irá se deslocar cerca de 250km até a Capital.


APÓS PARTO MAL REALIZADO, FAMÍLIA PROCURA JUSTIÇA PARA FILHO QUE NASCEU COM SEQÜELAS IRREVERSÍVEIS
O caso mais recente, está registrado no Ministério Público e Delegacia de Brasiléia, onde o casal, Anderson René Lima e Eliete da Silva Marinho, ambos de 23 anos, casados há dois, estão trilhando um caminho que não terá mais fim.

O pai, trabalhador braçal que ganha um salário mínimo e paga aluguel, agora se vê obrigado a pedir demissão para ir morar na Capital Rio Branco juntamente com sua esposa, para que seu filho tenha atendimento de saúde adequado.
A angustia compartilhada pelo jovem casal, começou no dia 25 agosto passado quando Eliete foi para o Hospital com a esperança de ter seu filho saudável. Segundo a mãe, chegou por volta das 07h00 e após exames, foi liberada para aguardar em casa. Com as contrações, foi e voltou três vezes.


No dia 26, somente às 20h00, foi internada. Aproximadamente às 23h00 seu filho nasceu. Antes, viu momentos de angustia do médico Carlos Sérgio O. Alvarez, sob o CRM/AC 1061, que não aceitou o pedido de Anderson para que operasse sua esposa, ligando para outro médico, doutor Felipe Sawcedo, para ajudá-lo no parto.

Eliete contou que de tanto apertarem sua barriga para forçar o parto, ficou com manchas pelo corpo e quando nasceu, tiveram que imobilizar os braços e enfaixar a cabeça de seu filho, que veio ao mundo com 3.900kg, medindo 54cm, sem chorar, indo para o balão de oxigênio.

Somente no dia 27, às 00h10, necessitando de uma UTI, a gravidade pós-parto fez com que a mãe e seu filho fossem encaminhados para a Maternidade Barbara Heliodora na Capital, onde foi constatado no raio-x, uma mancha na cabeça da criança recém-nascida. Foi diagnosticado encefalopatia hipoxico-isquemico; falta de oxigênio que se desenvolve quando há hipoperfusão tecidual significativa e diminuição da oferta de oxigênio.

A extensão e a distribuição da lesão isquêmica cerebral é determinada pela maturidade cerebral e pela gravidade. Douglas foi submetido há uma cirurgia onde recebeu uma sonda na barriga por onde recebe a alimentação, já que não tem coordenação para mamar no peito. A lata do leite que a criança recebe, custa cerca de R$ 24,00.

Tudo está registrado no relatório médico, assinado pela Pediatra Ana Rita C. Prado, no dia 10 de outubro, juntamente com o fisioterapeuta Romeu Rodrigues Oliveira que constatou a paralisia cerebral com espasticidade dos membros superiores e inferiores.

Segunda a mãe, os médicos da Capital assustaram-se com os procedimentos realizados na cidade de Brasiléia, dentro do hospital. Já no dia 10 de outubro, também foi encaminhado pela Secretaria de Saúde do Estado através do Sistema Assistencial de Saúde da Mulher e da Criança, um relatório onde pede a aquisição de fraldas descartável para toda sua vida.

Segundo o promotor público Siberman Madeira, os pais já foram ouvidos e o CRM já foi comunicado sobre o fato através do Ministério Público. Já o delegado da cidade de Brasiléia, Cleilton Videira, disse que o inquérito já foi instaurado e o médico poderá responder por lesão corporal grave. O jovem Anderson está sendo assessorado por um advogado já que pretende processar tanto o médico quanto o Estado pela situação de seu filho.

Sabe que nenhum dinheiro irá fazer com que seu filho fique normal, mas estará lutando para que o pequeno Douglas tenha um acompanhamento médico digno, já que a mãe terá que ficar cuidando dele 24 horas enquanto viver sem poder trabalhar e ajudar na renda familiar. Ambos são de família humilde.

Douglas necessitará de acompanhamento especial por toda sua vida, segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei n° 8.069 de 13 de Julho de 1990, Art. 4° “É dever (...) do poder Público assegurar com absoluta prioridade, a efetivação dos diretos à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária”. Alguns desses, serão retirado de sua vida.

Nota
O médico citado foi procurado no hospital juntamente com o presidente do Conselho de Ética para dar suas versões sobre o caso, mas não encontravam-se na instituição. O Secretário de Saúde do Estado do Acre, Oswaldo Leal, através do número 9984-**44, também não foi localizado para falar sobre os acontecimentos e situação em que encontra-se o Hospital Raimundo Chaar.

Sim ou não?

Quase nada do que recebo por e-mail é algo que preste, mas este aqui eu achei interessante. É um jeito diferente de pensar e um bom pretexto para refletir sobre o caminho que segue a humanidade. Não obrigo ninguém a concordar, mas acho que vale a reflexão.

E lembrem-se estou apenas reproduzindo tal qual o texto chegou até meu email;
"Fui ver o filme Cazuza há alguns dias e me deparei com uma coisa estarrecedora. As pessoas estão cultivando ídolos errados. Como podemos cultivar um ídolo como Cazuza? Concordo que suas letras são muito tocantes, mas reverenciar um marginal como ele, é, no mínimo, inadmissível. Marginal, sim, pois Cazuza foi uma pessoa que viveu à margem da sociedade, pelo menos uma sociedade que tentamos construir (ao menos eu) com conceitos de certo e errado.

No filme, vi um rapaz mimado, filhinho de papai que nunca precisou trabalhar para conseguir nada, já tinha tudo nas mãos... A mãe vivia para satisfazer as suas vontades e loucuras. O pai preferiu se afastar das suas responsabilidades e deixou a vida correr solta. São esses pais que devemos ter como exemplo?

Cazuza só começou a gravar pois o pai era diretor de uma grande gravadora. Existem vários talentos que não são revelados por falta de oportunidade ou por não terem algum conhecido importante.

Cazuza era um traficante, como sua mãe revela no livro, admitiu que ele trouxe drogas da Inglaterra, um verdadeiro criminoso. Concordo com o juiz Siro Darlan quando ele diz que a única diferença entre Cazuza e Fernandinho Beira-Mar é que um nasceu na zona sul e outro não.

Fiquei horrorizada com o culto que fizeram a esse rapaz, principalmente por minha filha adolescente ter visto o filme. Precisei conversar muito para que ela não começasse a pensar que usar drogas, participar de bacanais, beber até cair e outras coisas fossem certas, já que foi isso que o filme mostrou.

Por que não são feitos filmes de pessoas realmente importantes que tenham algo de bom para essa juventude já tão transviada? Será que ser correto não dá Ibope, não rende bilheteria? Como ensina o comercial da Fiat, precisamos rever nossos conceitos, só assim teremos um mundo melhor.

Devo lembrar aos pais que a morte de Cazuza foi consequência da educação errônea a que foi submetido. Será que Cazuza teria morrido do mesmo jeito se tivesse tido pais que dissesem NÃO quando necessário?

Lembrem-se, dizer NÃO é a prova mais difícil de amor. Não deixem seus filhos à revelia para que não precisem se arrepender mais tarde. A principal função dos pais é educar. Não se preocupem em ser 'amigo' de seus filhos. Eduque-os e mais tarde eles verão que você foi a pessoa que mais os amou e foi, é, e sempre será, o seu melhor amigo, pois amigo não diz SIM sempre."

Autora: Karla Christine - Psicóloga Clínica

... De fome um pouco por dia...

Antes que o ano apague as luzes, é digno e justo reverenciar mais um centenário, que inexplicavelmente esteve um tanto discreto, para não dizer ausente, quase ignorado, da mídia e do proscênio da vida social brasileira. Há cem exatos anos nascia no Recife, no coração do Nordeste brasileiro, aquele que seria o maior pensador sobre a manifestação mor da injustiça sócio-econômica em nosso país: a fome.

Josué de Castro – esse é seu nome – aprendeu em seu Nordeste natal como essa grande predadora que é a fome lentamente corrói a dignidade humana e vai transformando o ser humano em bicho, em animal. Pernambucano, foi no Rio de Janeiro que Josué de Castro concluiu sua formação em medicina. Logo em seus primeiros anos de formado, entendeu que "a fome" - essa força viva que destrói e mata - estava presente na vida de grande parte da população brasileira. E a ela dedicou o melhor de seu talento, sua formação. Foi a fome sua escolha como ser humano e como cientista. A pensá-la, denunciá-la para combatê-la.

Olhando o monstro de perto, Dr. Josué percebeu que não era produzido pela natureza, mas sim, tristemente, pelos humanos. Contrariando o pensamento então dominante nas ciências biomédicas, realizou uma pesquisa e empreendeu um trabalho científico que "desnaturalizava" a fome. Ou seja, explicava e afirmava que a fome não dependia do clima, nem das condições da natureza. Era, pelo contrário, fruto de ações humanas, de suas opções, da política econômica que rege países, regiões, sociedades. Isso constituía o tema central de seu famoso livro "Geografia da Fome".

Por haver denunciado a fome como flagelo fabricado pelos homens contra outros homens e pesquisar suas causas e injunções, Josué de Castro teve seus direitos políticos cassados pelo regime militar que governou o Brasil a partir de 1964. Exilou-se em Paris, onde passou a lecionar na Sorbonne. Na capital francesa, morreu em 1973, sem ter nunca mais voltado vivo ao seu país e sem ter sido oficial e nominalmente anistiado e reintegrado à plenitude de sua cidadania brasileira.

A fome é, afirmava o grande cientista, a expressão biológica de males sociológicos. Está intimamente ligada às distorções econômicas, às injustiças estruturais, que fazem com que se forme uma verdadeira indústria da injustiça, alargando os bolsões de pobreza e concentrando as riquezas nas mãos de uns poucos, enquanto outros não possuem nem o necessário para comer e sustentar as forças do corpo.

Em seu livro "A descoberta da fome", publicado em Lisboa, em 1966, Josué de Castro dá esse impressionante depoimento, que fala com clareza até onde vai sua estatura de ser humano e cientista: "Não foi na Sorbonne, nem em qualquer outra universidade sábia, que travei conhecimento com o fenômeno da fome. A fome se revelou espontaneamente aos meus olhos nos mangues do Capibaribe, nos bairros miseráveis do Recife - Afogados, Pina, Santo Amaro, Ilha do Leite. Esta foi a minha Sorbonne. A lama dos mangues de Recife, fervilhando de caranguejos e povoada de seres humanos feitos de carne de caranguejo, pensando e sentindo como caranguejo... São seres anfíbios - habitantes da terra e da água, meio homens e meio bichos. Alimentados na infância com caldo de caranguejo - este leite de lama -, se faziam irmãos de leite dos caranguejos..."

"Foi assim", continua Josué de Castro, "que senti formigar dentro de mim a terrível descoberta da fome." Tal como outro recifense, nascido mais tarde, igualmente genial e lúcido, mas homem de letras e não de ciências (João Cabral de Melo Neto), Josué de Castro nos legou a consciência do imenso e profundo pecado estrutural que é chaga na carne brasileira: a fome e a miséria, a vida Severina, que morte é "de emboscada antes dos 20, de velhice antes dos 30, de fome um pouco por dia".

Possa seu centenário ser ocasião de recordar seu pensamento e aplicar suas lições. Possa o Brasil erguer a cabeça fora da lama onde ainda chafurda, apesar de todos os passos que deu. Possa a memória de Josué de Castro fazer com que o flagelo da fome seja algo definitivamente erradicado do nosso meio quando avançamos já pelo século XXI.

Aluno de 12 anos é preso por soltar pum em escola nos EUA

Segundo professora, menino também teria desligado PCs de colegas.
Um americano de 12 anos foi preso no início de novembro por soltar um pum na sala de aula e, de acordo com a professora, "atrapalhar o bom andamento" do curso.

De acordo com o site de notícias policiais The Smoking Gun, o aluno do colégio Spectrum Jr. High School foi detido e levado para a delegacia do condado de Martin, na Flórida.

Além das "emissões poluentes", a professora afirmou que o estudante teria desligado computadores utilizados por seus colegas de classe. Segundo a polícia, o jovem admitiu ter incomodado os colegas, diante de seus pais, e foi liberado.

Já pensou se essa moda pega por aqui, oque vai ter de boletim de ocorrência nas delegacias...

Ô povim que não tem nada o que fazar....

Passando o tempo.

Hoje me deparei novamente com minhas crises reflexivas e acabei pensando no mundo louco como está, já que nas ultimas semanas as noticias que permearam o meio jornalísico, sempre foram no sentido de pais matando os filhos, filhos matando os pais,namorados inconformados viram noticias nos jornais.

Vejo isto como uma grande estupidez, pois existem mil maneiras dos problemas resolver, não é preciso apelar para tanta ignorância, pois o próprio tempo já nos mostra, que a vida é contada com um dia a cada vez.

Mas tudo isto já vem acontecendo desde os tempos de Jesus, e por mais que Ele falasse sobre amor e caridade, ainda não foi suficiente para que Suas palavras se espalhassem para nós como descendentes, de uma raça que ainda insiste em ser chamada ao longo dos anos, de seres humanos.

E assim estamos indo não sei pra onde, cada um com seu orgulho, cada qual se preocupando com o seu próprio bem estar, e sentando no próprio rabo para do rabo dos outros falar.

Eu não sou perfeito, tenho minhas falhas também, mas procuro seguir minha trilha sem empurrar a ninguém, pois precioso de cada um que estão do meu lado, para que possa caminhar direito, e quando estou ocioso procuro não deixar minha mente livre para o diabo ocupar, sento e escrevo alguma coisa, só para o tempo passar, pois nem este eu tenho coragem de matar.

Onde vamos parar????

SÍNTESE DAS ANTÍTESES

Recebi um fragmento de um texto maravilhoso de Lao Tse que nos ensina a olhar a vida por um angulo diferente do que estamos acostumados, dividuo-o com vocês
Lao Tse
Só temos consciência do belo, quando conhecemos o feio.

Só temos consciência do bom, quando conhecemos o mau.

Porquanto, o Ser e o Existir, se engendram mutuamente.

O fácil e o difícil se complementam.

O grande e o pequeno são complementares.

O alto e o baixo formam um todo.

O som e o silêncio formam a harmonia.

O passado e o futuro geram o tempo.

Eis porque o sábio age

Pelo não agir,

E ensina sem falar,

Aceita tudo que lhe acontece

Produz tudo e não fica com nada.

O sábio tudo realiza e nada considera seu

Tudo faz – e não se apega à sua obra

Não se prende aos frutos da sua atividade

Termina a sua obra

E está sempre no princípio

E por isto a sua obra prospera.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Pesquisadores encontram maconha mais velha do mundo

'Tijolo' de erva estava em túmulo de sacerdote na China,com cerca de 2.700 anos, maconha ainda manteve princípio ativo.
Um grupo de cientistas afirma ter encontrado em uma tumba na China o estoque de maconha mais antigo do mundo. O "tijolo" de 789 gramas de Cannabis sativa desidratada tem cerca de 2.700 anos e foi cultivado "para uso psicoativo", de acordo com pesquisa publicada no "Journal of Experimental Botany", da universidade britânica de Oxford.

Segundo os pesquisadores, a erva foi enterrada ao lado do corpo de um homem caucasiano, possivelmente um sacerdote da chamada cultura Gushi, que habitou a região noroeste da China.

Graças ao clima árido e solo alcalino, a maconha foi preservada. Após análise cuidadosa, os cientistas concluíram que mesmo após quase três milênios, a erva preservou seu princípio ativo.

"Até onde sabemos, essa é a amostra mais antiga que mostra a utilização de canabis como droga", afirma o neurologista Ethan Russo, um dos autores do estudo.

Os pesquisadores não conseguiram determinar se, à época, a droga era fumada ou ingerida, já que não foram encontrados cachimbos ou outras evidências no túmulo do xamã, que teria morrido com cerca de 45 anos.

"Era comum enterrar as pessoas com objetos e mantimentos que poderiam ser utilizados na vida após a morte", explica Russo.

Papa Bento XVI envia mensagem a vítimas de chuva em Santa Catarina

A Secretaria de Estado do Vaticano enviou, na quinta-feira (27), ao Arcebispo de Florianópolis, dom Murilo Krieger, uma mensagem de solidariedade do Papa Bento XVI às vítimas da chuva em Santa Catarina. A mensagem foi enviada ao Arcebispo de Florianópolis na quinta-feira e no seu corpo o Papa oferece apoio a desabrigados e famílias de mortos.

"O Santo Padre, ao tomar conhecimento, com profundo pesar, das trágicas e lutuosas conseqüências das chuvas torrenciais destes últimos dias que atingiram o estado de Santa Catarina, deseja afirmar-se espiritualmente presente nesta hora de dor com as famílias das vítimas e com os milhares de desalojados e desabrigados desta enorme tragédia ambiental.

Nesta ocasião, ao sufragar os falecidos, Sua Santidade implora de Deus misericordioso a assistência e a consolação para todos os sinistrados e quantos sofrem física e moralmente com propiciadora Bênção Apostólica, extensiva ao povo catarinense e aos que se engajaram nas campanhas de solidariedade."

Fraquinha... mas oque vale é a intensão...

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Em Tempos de Crise

Em épocas de vacas magras acho que atéo Papai Noel,vai parcelar seus Presentes...

Tenham uma excelente Quarta!!!

O Amigo Secreto

Pronto! Já é final de outubro e com o cheiro de novembro chegam também os montes de sorteios de amigos secretos. Tem o do trabalho. Tem também o da família. Tem ainda aquele com os amigos mais chegados e o outro com o pessoal da Rua. Tem o pessoal da academia e o do cursinho. Daí que quando você percebe, metade do seu décimo terceiro foi gasto com um monte de presentes para pessoas que fatalmente você não presentearia se não fosse o tal do amigo secreto!

Então que este ano vou ter um só! Só com a minha família. Vai ser trocado na noite de Nata. Deveríamos logoantecipar o sorteio de resolver antecipadamente as compras. A boa notícia do sorteio precoce é a antecipação da compra que evita a correria do Natal. Especificamente no meu caso, a espera não muda nada porque eu estou mesmo sem o tal décimo terceiro para colaborar no orçamento, né colega?

Certo, apesar de esta ausência ser demasiadamente sentida, concluí que não é o maior dos meus problemas. Um grande? Encontrar um presente para o amigo! Ele não é uma pessoa difícil. Aliás, é até que relativamente fácil de presentear, mas eu estou sem idéias... E diante das minhas últimas idéias imbecis tenho certo receio da coisa dar errado.

Enfim, eu até que tive uma idéia legal! Daí esbarrei no mesmo problema encontrado pela minha melhor colega nesta empreitada: tive a idéia e depois descobri que o amigo já tinha o artigo. Ainda bem que eu ainda não tinha comprado! Voltei à estaca zero...

E daí que o amigo não ajuda também... Foi dada a largada para os tais e-mails de auxílio. Aqueles onde o amigo supostamente te daria uma idéia bacana do que é que ele precisa e tudo o mais. Mesmo que você não seja obrigado a comprar exatamente o que ele mencionou, dava para - pelo menos! - ter uma idéia se a situação fosse parecida com a minha: uma falta completa de idéias! Não é mesmo? A questão é que a onda de amigo secreto este ano na minha família é compre-o-que-você-quiser-que-eu-vou-ficar-feliz-pra-caralho! Você vai ficar feliz? Mesmo? E o seu amigo? Ah! Ele que se foda!

Vou continuar tentando ter alguma idéia, mas... Está foda!!!

Estou ficando mais Burro ou mais observador!!!!

A falta de capacidade da esquerda Brasileira em se unir e propor projetos e estruturas alternativas ao capital neoliberal propicia a que a burguesia tome a iniciativa e proponha mudanças no verniz para que nada mude nas estruturas.

Depois de toda onda em cima da "crise do sistema", em que se condenou e se condena os abusos cometidos pela livre iniciativa de mercado sem nenhum controle do Estado, algumas pistas de como o capital é capaz de se reciclar começam a aparecer. Claro, depois que os Estados (com o sagrado dinheiro dos povos) assumiram o ônus dos abusos neoliberais, transferindo os prejuízos - provocados pela ganância desenfreada das mega-empresas - para as nossas costas já calejadas de tanta exploração.

Uma das iniciativas nos vem dos participantes da Semana do Empreendedorismo que acontece em São Paulo, simultaneamente com outras 1.548 atividades espalhadas pelo Brasil e em mais 74 países.

No encontro de São Paulo, obviamente reservado a empresários, foi apresentada proposta para se concretizarem duas reformas à Constituição, a Reforma Trabalhista e a Tributária: "A crise é uma ótima oportunidade para as mudanças necessárias", palavra do professor direitista Ives Gandra, com o apoio explícito do ex-secretário da Receita Federal Everardo Maciel e do professor José Pastore, todos tradicionais defensores do atual modelo econômico.

Quando falam de Reforma Trabalhista, os três têm em mira a promessa do presidente Lula de um projeto que vise "flexibilizar" todos os direitos. Não esqueçamos, direitos conquistados pela classe trabalhadora brasileira ao longo de dezenas de anos de muita luta e muito sangue derramado. "Flexibilizar" direitos é aumentar a exploração sobre quem trabalha, propiciando o aumento dos lucros de quem explora. Da mesma forma, ao propor novas mudanças na legislação tributária, os três evidentemente não estão pensando na redução dos impostos que recaem sobre os consumidores, nem mesmo na redução das alíquotas do Imposto de Renda sobre os salários dos que produzem as riquezas com seu trabalho suado. Estão pensando em mais redução dos encargos que beneficiem o empresariado. Não fosse isso não haveria razão para afirmar que "a crise é uma ótima oportunidade para fazer as mudanças necessárias". Necessárias para quem?

A segunda, e muito mais importante, iniciativa nos vem do encontro do G20 (com a participação dos 22 países mais importantes para a economia mundial. Lula, Cristina Kirchner e Hu Jintao – China - presentes). Vejam a pérola que de lá saiu: "Nosso trabalho será guiado por uma crença compartilhada de que os princípios do mercado, abertura comercial e de regime de investimentos e mercados financeiros eficazmente regulados estimulam o dinamismo, a inovação e o espírito empreendedor, essenciais para o crescimento econômico, o emprego e a redução da pobreza". E, diz a imprensa, Lula saiu de lá entusiasmado! Aí estão duas iniciativas concatenadas nos revelando que o capital "não dorme de botinas".

Enquanto os chefetes dos governos se animam em salvar o capital corrupto, corruptor, predador da natureza, espoliador, gerador de miséria e toda sorte de violência, os movimentos sociais competem entre si e parte deles se vende ao capital, traindo seus povos.

Pela sua incapacidade em se unir, em deixar de lado os anseios egoístas de hegemonia de cada grupo, a esquerda perde excelente oportunidade. Mesmo sabendo que a crise é histórica, e que este seria talvez o melhor momento para, unificadamente, e tendo em vista a vida do povo, a justiça e solidariedade de classe, propor e lutar por uma profunda revolução política, econômica, social e cultural, ainda assim não consegue se unir. Como é incapaz, o capital, que nada tem de bobo, toma a iniciativa e dá passos importantes para se reciclar, sem nada mudar nas estruturas de dominação e exploração. São os abutres sobrevoando os esqueletos dos famintos

Cá pra nós, brasileiros: ainda tem gente que acredita que o governo atual é de esquerda!

Brincadeira, me engana que eu gosoto tá nego!!!!

Sem filosofia... Nem pensar!

Por; Gabriel Perisse
Filosofar é pensar. Não um pensar qualquer. Não é um pensar solto no ar, perdido no mar, um ir-e-vir por aí. Não é jogar pôquer, apostar para ganhar tudo ou alguma coisa perder. Ou tudo perder e chorar sobre o pensamento derramado.

Filosofia é pensar dia a dia no dia-a-dia. Pensar é desfiar o fio da meada. Penso, logo desconfio. Pensar a prece, a pressa, o peso, o passo, a pizza, o poço, o prato, a prata, o porquê do epitáfio, as razões do rififi.

Filósofo é aquele que pára para pensar. Pára para não parar de pensar. Pensa para comer o pão com o suor de sua mente. Pensa, logo alonga, longínquo pensamento que o deixa tão perto de tudo. Filósofo só pára de pensar para pensar em que está pensando.

Filosofal viver. Filosofal andar. Filosofal tropeçar. Filosofal cair, e encontrar na queda outros motivos para mais filosofar. Filosofal sentar sobre a pedra filosofal. Idéia tanto bate sobre a pedra, tanto bate até que o pensamento perdura.

Filosofante caminhar, o homem sobre o elefante, o elefante sobre a terra, a terra sobre o vento, o vento filosofante venta para onde quer. O filosofante gigante sobre os ombros de um anão também verá mais longe.

Filosofema retira algemas, descobre o filósofo da gema, faz nascer antenas, penetrar esquemas, abordar todos os temas, reler o poema, inspirar-se no cinema, valorizar o pequeno, o fenômeno, o dilema, remar contra ou a favor da maré.

Filosofice é sempre um risco. Ninguém está livre de pensar contra o pensamento. Ninguém está livre de se aprisionar uma vez mais. Ninguém está livre de pensar que pensa, e despencar do altar que ergueu para si mesmo, confundindo filosofia com empáfia.

Filosofismo é outro risco. Belo risco, afinal, porque somos todos capazes de filosofar. O filosofismo é a filosofia que virou jogada, pretexto, mania, suborno, insulto. O filosofista finge que pensa, e por isso parece pensar melhor que o próprio pensador.

Filosófico texto, contanto que as palavras abram nossa mente e nos façam mentar o mundo. Que o texto filosófico não seja apenas manobra, cobra preparando o bote, veneno que paralisa o leitor e o devora pouco a pouco.

Filosofar, enfim, é começar a pensar sem fim. É pensar quando não se pensa em nada, pensando em tudo. Pensar como sempre. Como nunca.

Golpe do falso seqüestro por telefone é aplicado em Epitaciolândia e Brasiléia

Por Alexandre Lima - Jornal o Alto Acre
Alguns moradores da cidade de Epitaciolândia, tiveram uma manhã conturbada pela parte da manhã desta sexta-feira, dia 21. Empresários e cidadãos comuns passaram a receber ligações a cobrar onde um homem e uma mulher passavam-se por seqüestrador e vítima.

No momento em que atendiam, a mulher se passava por alguém da família pedindo socorro e dizia que havia sido seqüestrada com uma voz chorosa. Daí, o homem tomava o aparelho dizendo ameaçava dizendo que queria dinheiro e caso não fosse atendido, mataria a suposta vítima.

No período de duas horas, os trotes foram feitos em alguns estabelecimentos comerciais e residências. Alguns até assustaram-se com as ligações mas viram que passava de trotes.

Nesta segunda-feira, dia 24, foi a vez da cidade de Brasiléia, algumas casas receberam ligação a cobrar onde uma mulher e um homem faziam as mesmas ameaças dizendo que algum parente havia sido seqüestrado.

Autoridades aconselham a não atender as exigências, registrar queixa e comunicar aos familiares sobre o acontecido. Geralmente, o falso seqüestrador pede que compre cartões telefônicos para obter créditos ou as vezes dinheiro. Alguns casos foram descobertos, presos que conseguem celular, ligam de dentro de delegacias e presídios simulam falsos seqüestros. Uma dica: nunca passe dados pessoais ou de seus familiares.

As autoridades Federais e Civis foram comunicados dos acontecimentos e já passaram a investigar para tentar chegar a essas pessoas. Em todos as ligações, nenhuma pessoa havia sido seqüestrada. Caso sejam encontradas, poderão condenadas por ameaças.

Fábrica do Fogão levará energia elétrica às comunidades em Rio Branco

Está prevista para o próximo dia 11 de dezembro a inauguração da Energer Energias Renováveis Ltda, fábrica que produzirá mensalmente 50 unidades do Bio Micro Gerador - BMG Lux , o fogão que ao mesmo tempo cozinha e produz eletricidade suficiente para acender quatro lâmpadas e funcionar aparelhos de TV ou de som. A fábrica estará instalada no Parque Industrial de Rio Branco, na BR 364 (sentido Porto Velho) e trabalhará no sistema modular, o que permite responder a qualquer demanda.

A fábrica está sendo implantada após um ano de experiências com o BMG Lux. O Governo do Acre apoiou a distribuição de 27 unidades em seringais da Reserva Extrativista Chico Mendes onde, segundo Ronaldo Sato, diretor técnico da Energer, percebeu-se índice de satisfação de 75% com o desempenho do fogão. "É um resultado fantástico", comemora Sato. A experiência possibilitou inclusive a redução de pelo menos vinte quilos no peso total do fogão, que na versão que chegou às famílias da Resex pesava mais de 80 quilos.

O diretor técnico da Energer estima que o grupo empresarial que comanda a empresa já investiu R$3,5 milhões na indústria. O BMG Lux aproveita o calor para gerar energia. Atende principalmente às comunidades isoladas. Uma casa pode ser abastecida durante cinco horas com energia elétrica a partir do abastecimento das baterias.

Fogão
O BMG Lux, conforme descreve Sato, é um fogão de fácil manejo, que pode ser operado por donas de casa e que trabalha com o vapor e não com caldeira, o que afasta o risco de acidentes. O fogão retém a fuligem, que se inalada por um longo período provoca doenças pulmonares, as quais, segundo a Organização Mundial de Saúde, ocupam a oitava colocação em causas de morte no mundo.

O fogão está em exposição na Feira do Empreendedor do Piauí, organizada pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e já passou por vários testes para ser incluído no Programa Luz Para Todos como política de inclusão energética de famílias que vivem em povoados remotos.

Fonte: Governo do Acre

Comissão do Senado aprova projeto que restringe a meia-entrada

Projeto cria Conselho para fiscalizar emissão de carteirinhas.
A Comissão de Educação do Senado aprovou nesta terça-feira (25), em primeiro turno, o projeto de lei que restringe a 40% o montante de ingressos que terá de ser destinado à meia-entrada. Como tem caráter terminativo, após a votação em segundo turno pela Comissão o projeto poderá seguir para votação na Câmara.

O relatório da senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), que foi aprovado, determina que os produtores de eventos artísticos, culturais e esportivos, além de museus e parques, terão de reservar até 40% do espaço para venda de ingressos pela metade do preço para estudantes e idosos. Atualmente, não há limitação de espaço e os produtores são obrigados a atender a demanda por meia-entrada mesmo que ela seja integral.

Em defesa do projeto, os senadores defendem que haverá uma redução do preço total dos ingressos. Os produtores culturais são os maiores defensores desta regulamentação. “Quanto mais sobe o percentual de meia-entrada, mais sobe o preço do ingresso”, argumenta o ator Odilon Wagner, presidente da Associação de Produtores Independente de Teatro e um dos diversos artistas que acompanharam a votação.

A União Nacional dos Estudantes (UNE) é contrária ao estabelecimento da cota. Para a presidente da entidade, Lúcia Stumpf, o problema do excesso de vendas de ingresso com meia-entrada poderia ser resolvido simplesmente com a regulamentação da emissão de carteiras de estudante. “A limitação do nosso direito não interessa aos estudantes e não é necessário à classe artística”, reclamou. Ela questionou também a possibilidade de fiscalização destas cotas.

Pelo texto aprovado, as cotas não serão aplicadas a camarotes, áreas VIPs e setores especiais, onde só seria vendida a entrada com preço integral.

O governo fica ainda autorizado a criar uma forma de remunerar os produtores pela concessão do benefício da meia-entrada, mas a compensação não é obrigatória.

Controle das carteirinhas
O projeto aprovado na Comissão de Educação determina ainda a criação de um conselho pelo Executivo para fiscalizar a emissão das carteirinhas de estudante. A intenção é evitar a confecção de carteirinhas falsificadas.

“É possível receber carteira de estudante hoje até como bônus na compra de um produto. Evidente que são exceções, mas existe. Queremos uma carteira de estudante de verdade para ter meia [entrada] de verdade, se a meia [entrada] é para todos é ilusória porque é preço de inteira”, observa o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), um dos autores do projeto.

Além de padronizar a emissão de carteirinhas, caberá ao Conselho decidir sobre a necessidade de compra antecipada de ingressos para quem for adquirir a meia-entrada. Essa reivindicação é feita pelos produtores, que temem ver espaços vazios nos eventos devido à cota.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Descobertas...

Eu sou altamente irritável. E você, leitor, certamente já notou isso! E esta semana descobri mais uma coisa que me irrita loucamente: pegar o outro na mentira. E isso me irrita às beiras do infinito!

Algumas vezes a mentira é necessária. É preciso mentir por algumas razões na vida. Razões nobres. Causas importantes. Só que ninguém precisa mentir descaradamente e por uma bobagem qualquer. E ainda mentir para justamente ser pego mentindo!

A pergunta que faço é: para quê? Qual é o objetivo de alguém que faz isso?

A mentira tem sua utilidade, mas ela incorre em abalo de confiança. Na verdade, eu ainda não descobri o que me irrita mais: se é descobrir que a pessoa mentiu ou concluir que ela mentiu sem nenhuma necessidade e por um motivo imbecil!

Eu fiz uma pergunta direta para o sujeito. E de volta recebi uma resposta direta. E daí que no dia seguinte descobri que o cara mentiu! Para quê? Não era mais fácil responder a verdade? Os neurolinguistas dizem que dá um trabalho fenomenal ao cérebro falar uma mentira. E mentir para alguém que confia na gente e em quem a gente confia só traz prejuízo para a relação. Porque se a pessoa mentiu por qualquer cretinice como não pensar que ela pode ter mentido por outras coisas mais importantes e sobre as quais você acreditou nela?

E daí – só para piorar! – você descobre que a verdade já foi dita. E foi dita para outras pessoas. E para pessoas que pensam que você já sabe e que chegam para comentar sobre a verdade. E então você descobre que foi enganado e eu, colega, fico emputecido!

Cada um dá a desculpa que convém: segredo, surpresa, privacidade... Acontece que se você for flagrado, tudo o que for dito a partir daí se torna uma mentira! E mentira é mentira e ponto final! Sem desculpas! Por razões nobres ou não, a coisa é mentira e fim de assunto!

E eu também não sei se fico mais emputecido porque sou ingênuo e acredito em caráter, honra e verdade ou se é porque passo a questionar tudo o que já me foi dito por aquela pessoa. O fato é que eu enlouqueço! Não tolero e tenho repulsa!
Odeio gente mentirosa! E que mente assim. Por nada. Não suporto mesmo!

Que me Perdoe os Mentirosos de plantão!!!!

TCE abre mais um processo contra prefeito de Xapuri

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) instaurou processo autônomo para calcular o valor da multa a ser aplicada ao prefeito Wanderley Viana (PPS), por conta das irregularidades detectadas durante a análise dos balanços financeiros da prefeitura de Xapuri, referente ao quarto bimestre de 2008. Segundo parecer da relatora, conselheira Naluh Gouveia, o prefeito está gastando além da capacidade financeira do município.

Além de notificar o prefeito para corrigir as irregularidades apontadas, o TCE encaminhou cópias do Relatório Resumido da Execução Orçamentária da prefeitura de Xapuri ao Ministério Público Estadual e a Câmara de Vereadores daquela cidade, para que com base no mesmo possam adotar as medidas cabíveis. Vale ressaltar que este não é o primeiro alerta expedido pelo TCE ao prefeito Wanderley Viana, que perante o Tribunal de Contas já é considerado reincidente.

Polícia Federal do Acre apreende fuzil HK-47

Um fuzil HK-47 e cinco carregadores com 150 munições apreendidos pela Polícia Federal dentro de um barco, no município de Marechal Thaumaturgo, localizado na fronteira com o Peru, já foram entregues à Polícia Nacional Peruana. A arma foi furtada do posto da Polícia Nacional Peruana, que fica próximo à Comunidade Foz do Breu, localizada na divisa entre os dois países no marco 38.

O fuzil com os carregadores estaria em poder de um morador da cidade identificado por Loirinho, mas não houve flagrante. O delegado da PF, Antônio Marques Oliveira, ainda avalia se abrirá inquérito para investigar como a arma foi parar na cidade.

O fuzil HK-47 tem alto poder de destruição e foi criado na Rússia em 1947. Dispara 600 tiros por minuto e tem alcance superior a um quilômetro. Pesa 4,3 quilos e um soldado com prática não leva mais de um minuto para armá-lo, é também a arma mais usada por traficantes de São Paulo e Rio de Janeiro.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

É São Sebastião ou São Chico?

Hoje em visita a Paróquia São Sebastião, pude verfiicar de perto o inicio das obras de Pintura da Igreja Matriz, que segundo me informaram obrigatoriamente deverão entregar o Prédio bunitinho até o dia 22 de dezembro, com essa informação juntei o alfinete com a minha louca vontade de alfinetar.

Primeiro, que o volume de recursos, pouco mais de 40.000,00 (quarenta mil reais),não serão suficiente para a restauração da pintura, já que esse processo deveria ser seguido pela retirada de toda parte degradada pela umidade, pelas camadas de tintas anteriores e alguns retoques de cimento.

Segundo, engana-se quem pensa que o Ilustre Governador, está sendo bonzinho ou investindo em um ponto turístico, a decisão é meramente política, sabem porque devem entregar a obra até o dia 22 de dezembro e não atéo dia 20 de janeiro que seria correto já que é o dia do Padroeiro da cidade? Por que no dia 22 de dezembro é o dia do assassinato do Chico Mendes, ou seja, mais uma vez vemos que em Xapuri prevalece a força do mito do que o critério do bom senso.

Nada contra as comemorações do 20º aniverssário da morte do Chico, acredito que tem mesmo que relembrar do grande sonhador, já que boaparte de suas idéias foram disvirtuadas ao longo do tempo, restando o nome e a fama que já geraram e continua gerando para os projetos do Govermo somas vultuosas de recursos.

Quero sim, respeito com a Igreja de São sebastião já que essa é segunda intervenção do nome Chico na Paróquia, ou quem não lembra que o Painel dos Martires localizado ao lado do terreno da Igreja Matriz, no seu projeto inicial teria uma imagem do líder Seringueiro e seria reproduzido na nave interna da Igreja, ou seja todos olhariam o Sacrário e ao Fundo a imagem não só do Chico, mas também de outros que morreram em virtude da violência exarcebada vivida numa época em a lei quem ditava era quem tinha um 38 na cintura e várias cabeças de gado no Pasto.

A pintura é bem vinda? Com certeza... A entrega será nas festividades do assassinato do Chico Mendes? pouco me importa... Agora extremismo não!!!

Lembro-me de um vídeo do velório do Lider Seringueiro, onde o Pároco da época, discussarva frente ao Caixão em plena época do Advento (Vinda do Senhor) fazendo apologia auma santidade não reconhecida,já que apontando para o caixão esbravejava "Enquanto aguardamos a vinda daquele que salva o mundo,choramos pela ida deste salvador". Fico sinceramente muito preocupado come ste tipo de apologia eque interpretação as pessoas mais simples possam conceber esse dualidade de informações, só espero que não troquem o 20 de janeiro,pelo 22 de dezembro.

Compreendo que estou chutando na canela de várias pessoas,porém essa é uma das incríveis histórias que vemos em Xapuri

E salve... São Sebastião...por enquanto!!!!

Coisas que Abomino

Ontem a noite,quase tive uma indigestão lanchando quando ouvi ao lado da mesa em que estava,dois pentecostais que falavam absurdos sobre os homossexuais,não quiz nomomento entrar no mérito da discurssão,já que por várias vezes entrei em conflito,com alguns "crentes" justamente pela compreensão errônea das traduções mal elaboradas de suas bíblias. Também em algumas mesas redondas,onde o Tema era Conceito e Preconceito,sempre falataram argumentos aos acusadores para sustentar suas versão se não,por via de uma concepção dogmática falida e insuportável.

Pois bem, como ouvi dizer que a relação entre dois homens é algo que o inferno se prontifica a receber os envolvidos,já que não serão dignos da gloria celestial, como poderiam me explicar que a Biblia trata umcaso de amor entre homens não cita nada de inescrupuloso na situação? Duvidam?

Pois bem, no capitulo dezoito do primeiro livro de Samuel, temos um bonito relato do amor de Jônatas, ou Jonatã (filho do rei Saul) por Davi, o franzino rei que derrotou o gigante Golias. Sempre que alguns tentaram ver nesse episódio, sinais de um amor homossexual, logo os defensores da moral se apressaram para desmerecer as insinuações. Não nos cabe dizer qual tipo de amor que os ligava, no entanto, não nos parece impossível que pudesse ter havido realmente, algo maior que amor de simples amigos:

“Ora, acabando Davi de falar com Saul, a alma de Jônatas ligou-se com a alma de Davi; e Jônatas o amou como à sua própria alma. E desde aquele dia Saul o reteve, não lhe permitindo voltar para a casa de seu pai. Então Jônatas fez um pacto com Davi, porque o amava como à sua própria vida. E Jônatas se despojou da capa que vestia, e a deu a Davi, como também a sua armadura, e até mesmo a sua espada, o seu arco e o seu cinto.”

Somos informados ainda que Davi achava-se angustiado pelo seu irmão Jônatas. A palavra irmão era comumente empregada entre amantes, razão pela qual se torna difícil avaliar em que sentido a Bíblia entende o amor desses dois personagens: “Tu me eras tao querido! – conta Davi ao lembrar do amigo - Mais maravilhoso me era o teu amor do que o amor das mulheres.”

Parece que Saul suspeitava de um amor homossexual entre seu filho Jônatas e Davi, por isso decide matar o suposto amante do filho. Tomado de violenta cólera, diz na frente do filho e de seus servos, que já sabe de seu envolvimento com o filho de Jessé, e que isso representa uma vergonha para sua mãe e toda a família. Vergonha por quê? Parece mesmo que os dois eram amantes, e disso o velho Saul e toda corte já sabiam.

Ao saber que o amigo corria perigo, Jônatas foi ao seu encontro avisá-lo para que partisse. É dito que ao ver Jônatas chegando, Davi curvou-se como era costume, e ambos se abraçaram, em prantos. Há uma versão que aponta que além de abraços, também se beijaram (possivelmente no rosto, como era o costume).

Sabemos por historiadores, que não era tão incomum casos assim, naqueles tempos. Os homens passavam muitas vezes meses e anos na guerra sem ver as famílias. Quando um sacerdote indaga a Davi, se estava se abstendo de mulheres, disse que sim. Ele e todos seus soldados.

E era bem comum soldados em batalhas terem seus amantes. Talvez Davi e Jônatas viveram um belo romance, e isso não seria nada estranho, apesar dos protestos dos conservadores.

Então como explicar tal fato de um jovem, que foi escolhido para ser o Rei do Povo de Deus e ter tal história. Isto somente nos ensina que todos somos iguais independente de credo, cor,opção sexual, somos filhos de Deus e merecedores de respeito..

O projeto e a necessidade

Fui presenteado com um belo livro de Alfredo Bosi, jornalista recém eleito para a Academia Brasileira de Letras, que afirma nas primeiras páginas que a constante da nossa história é a oposição entre o projeto e a necessidade. Em seu livro "Dialética da Colonização", ele defende a tese de que todos os grandes projetos brasileiros - desde o sonho jesuíta do Mundo Novo até a saga da construção de um Estado Nação - sucumbiram diante de necessidades imediatas: escravização do índio para garantir a subsistência dos colonos; escravização dos africanos para viabilizar a economia agrícola; indefinição da propriedade da terra para possibilitar a grande agricultura itinerante; endividamento do Estado e desnacionalização da economia para possibilitar a modernização industrial.

A história do fracasso dos projetos diante da necessidade imediata criou nas classes abastadas a cultura do sucesso imediato. A introjeção dessa cultura na mente dos políticos faz com que o horizonte temporal de suas ações jamais vá além da próxima eleição.

Nem a esquerda conseguiu escapar dessa cultura do imediato e este viés pode ser fatal para o seu projeto. Mas não será fácil conseguir que os partidos de esquerda tracem estratégias em função do tempo requerido para que o projeto socialista possa amadurecer. Basta ver que em alguns arraiais da esquerda já há gente imaginando que a crise financeira irá catapultá-los muito em breve ao primeiro plano do palco político.

Doce ilusão!

Se o tamanho da crise dependesse de torcida, a esquerda deveria torcer para que não estourasse tão cedo, pois, se isto acontecer, ela se encontrará novamente despreparada para oferecer um projeto alternativo concreto às massas populares. Foi isto o que aconteceu nas duas únicas vezes em que, após a revolução de 1930, o sistema de dominação foi abalado pela rebeldia popular.

Em 1954, quando Vargas suicidou-se e as massas populares das grandes cidades tomaram as ruas em protesto, houve risco de desestabilização, mas nada aconteceu. Na ocasião, um europeu, arguto observador da cena que se desenrolava em São Paulo, sentenciou: "se existisse hoje um partido comunista forte no país, o Brasil seria comunista amanhã".

Em 1964, as agitações camponesas e operárias pelas reformas de base não encontraram nenhuma força de esquerda apta a entender o momento e a propor uma estratégia que conduzisse à ruptura do regime capitalista.

Não há, em 2008, força alguma de esquerda minimamente preparada para formular uma alternativa de poder que possa ganhar a mente e o coração da massa popular.

Portanto, a prioridade primeira de todo partido de esquerda, neste momento, consiste em começar a criar as condições subjetivas para a ruptura com o sistema vigente através de uma nova praxis de luta de classes. Isto exigirá um longo, paciente e complexo trabalho político, o qual, contudo, não se esgotará no âmbito estrito da política, mas terá que abranger o plano da cultura e enraizar-se em todos os meios em que vive a população de uma sociedade complexa.

A palavra está com os partidos de esquerda. Se as inevitáveis (e necessárias) avaliações do desempenho dos partidos de esquerda nestas eleições municipais, assim como os planos de ação futura, tiverem 2010 como horizonte temporal ou se tornarem combustível para cobranças e luta interna, perder-se-ão as oportunidades que a crise criará para avançar na direção do projeto socialista.

Mulher 'cadeiruda' produz mais leite materno, diz especialista

Gordura da região do quadril é resultado da ação do estrogênio.
Está cientificamente comprovado: mulher cadeiruda ou popuzuda, com mais gordurinhas acumuladas na região das coxas, quadris e bumbum, tem de condições de produzir mais leite materno. E de melhor qualidade nutricional para o bebê, segundo estudo apresentado no 1º Congresso Mundial de Endocrinologia na América do Sul, realizado no Riocentro, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.

Mas, como toda notícia animadora, esta também tem um porém, segundo o presidente do congresso, o endocrinologista Amélio Godoy Matos. Não é porque o quadril avantajado traz benefícios para a produção de leite que as futuras mamães devem relaxar diante da balança.

“A mulher não deve ser gorda, ela tem de ter esse tipo de gordura bem distribuída nesta região. Gestantes que engordam mais seis ou sete quilos estão colocando em risco a própria saúde e a do bebê”, alerta o médico.


Preparação para o parto e a amamentação

Godoy Matos explica que a gordura que a mulher acumula na região do quadril a partir da puberdade é resultado da ação do hormônio feminino estrogênio. Durante a gestação, esse hormônio – entre outros - começa a preparar o corpo para o parto e a amamentação. Essa gordurinha, segundo o endocrinologista, ajuda a liberar mais nutrientes para o bebê ainda no útero.

“Durante a amamentação, esses hormônios ajudam na produção de um leite mais rico em gorduras saudáveis para alimentar o bebê”, explicou o especialista.

Com isso, diz o médico, está provado que mulheres cadeirudas podem ter um parto mais tranqüilo e podem amamentar melhor seus bebês.

“Não sei dizer se a Mulher Melancia teria um bebê saudável, mas é bem possível que produza muito mais leite materno para seu filho”, brincou o endocrinologista, animado com o congresso, que no Rio bateu o recorde de participantes em eventos do gênero, com seis mil inscritos.

O álcool e nosso verde

“De todos os aspectos da miséria social nada é tão doloroso quanto o desemprego”

*Walter Prado

Os problemas econômicos mundiais, que podem influenciar negativamente na economia de muitos países, inclusive o Brasil, poderia ter seus reflexos amenizados em nosso Estado, se além das questões ambientais também fosse observada as carências sociais de nossos cidadãos.

As exigências têm que ser impostas, mas em um processo de investimento sempre são colocadas metas, inclusive de retorno do capital investido no projeto. Um pouco de boa vontade em desburocratizar as ações para instalação e funcionamentos de empresas que gerariam divisas para o Estado e empregos para nossa população, deveriam ser um das obrigações dos órgãos competentes neste processo.

A iniciativa do Grupo Farias, em se instalar em nosso Estado, com a usina Álcool Verde, contribuindo com o desenvolvimento econômico e social do Acre, tem que ser vista com bons olhos. A empresa em pleno funcionamento terá a capacidade de gerar cerca de 1.000 postos de trabalho com carteira assinada, além de empregos indiretos que beneficiarão uma parte da população acreana que vive da informalidade.

Além da recuperação de um patrimônio que se encontrava sucateado, o inicio das atividades da usina Álcool Verde, desencadearia um processo produtivo, gerando trabalho e renda para centenas de famílias. O álcool não agride o meio ambiente, é um tipo de energia renovável, sua produção pode ser acompanhada de um trabalho de recuperação do solo com outras culturas, para que não aconteça a degradação, permanecendo a área do cultivo da cana sempre produtiva.

O processo de soerguimento das instalações foi penoso, dependendo de vários acordos firmados entre Estado e Governo Federal, contando ainda com investimentos da iniciativa privada, não podemos repetir o episódio triste da Alcobrás. Foram investidos recursos públicos, dinheiro que as instituições têm a obrigação de prestar contas ao contribuinte, e a melhor forma de mostrar que o dinheiro foi bem investido é demonstrar competência nas ações das instituições para implantação de empresas que se dispõe a investir em nossa economia.



O Benéfico gerado pela usina Álcool Verde, também seria destinado ao Estado, que passaria a arrecadar cinco milhões de reais de ICMS, passando a contar com uma considerável verba para investimentos na estrutura governamental em obras e projetos direcionados a população. Nossos condutores passariam a contra com um desconto de R$ 0,32, por litro de álcool consumido. A Álcool Verde irá abastecer Amazonas e Rondônia, além do mercado acreano, o Acre passará a ter respeito diante dos demais estados da região, como um pólo produtor.

Se a preocupação é o meio ambiente, soluções devem ser apontadas, afinal as instituições existem para promover estudos e contribuir para diminuir possíveis impactos que possam ocorrer. O pensamento na área social também deve ser avaliado, nossos cidadãos carecem de postos de trabalho. Preservar a qualidade de vida e a sobrevivência da população é obrigação das autoridades e instituições.

O ex-governador Jorge Viana, acredita que o desenvolvimento de nosso Estado depende da iniciativa privada, trabalhou arduamente no projeto de implantação da usina Álcool Verde, sempre acreditando que o Acre poderá futuramente ser um corredor de exportação e que a fundação de empresas de grande porte será o atrativo para investimentos de outros grupos empresariais do porto do Grupo Farias.

Estamos vivendo um importante momento na história do Acre, está é a oportunidade de alcançarmos um desenvolvimento jamais sonhado, vamos valorizar os investimentos realizados em nosso Estado, vamos desburocratizar as ações de nossas instituições, vamos pensar no bem estar de nosso povo sofrido. O Acre precisa dos postos de trabalho que a usina Álcool Verde oferece aos nossos cidadãos.

*Walter Prado – deputado pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB)

Bolívia e Brasil desenham novo convênio binacional antidrogas

A Bolívia e o Brasil estão preparando um novo convênio binacional de luta conta o narcotráfico, que será referendado no dia 21 de novembro na cidade de Porto Alegre, durante uma reunião ordinária de Ministros do Interior, do Governo e Justiça do Mercado Comum do Sul (MERCOSUL).

Ambas Nações determinaram, há 20 anos, atualizar a normativa anti-narcóticos e criaram uma comissão binacional que começou nesta quinta-feira, dia 13, os trabalhos entre representantes de imigração, bens apreendidos, Ministério do Governo e Chancelaria da Bolívia, com seus pares do Brasil.

Este acordo foi alcançado depois da primeira reunião que aconteceu em Outubro entre o Ministro do Governo da Bolívia, Alfrefo Rada, e Ministro da Justiça do Brasil, Tarzo Genro, responsável pela luta antidrogas e Polícia Federal brasileira.

O objetivo é buscar o Controle Integral das Fronteira, em coordenação operativa permanente entras as forças policiais, que terão sob sua guarda, a vigilância sob substâncias químicas controladas e luta contra o tráfico de entorpecentes.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Estou de Volta, Depois de quase duas Semanas!!!

Antes de tudo devo pedir desulpas aos visitantes do Blog, já que fiquei quase duas semanas sem postar, devido a problemas de internet, mas bem... já estou de volta e deixo de inicio a charge do do Dia que refere-se a propalada Crise Financeira

Bem Senhores explicando a minha ausência desse espaço,justifico pelo acúmulo exacerbado de trabalho, bem como a minha saúde que não andou das melhores nesses últimos 11 dias,juntando a isso tive um problema técnico com minha internet residencial, o que dificultou as minhas postagens e me deixou louco... já que me habituei a escrever, a buscar informações a compilar reportagens para reproduzir neste espaço. Mas enfim, estamos de volta...

Como disse foram onze dias. Onze dias sem escrever. Diziam os antigos quando uma pessoa gosta de escrever, deve produzir ao menos uma linha por dia. Foram onze dias sem escrever uma linha, sem arriscar uma palavra, uma vírgula sequer. Onze dias com suas onze noites. A morte do texto. O ânimo paralisado. Perplexo diante de sua própria inatividade.

Foram onze dias sem pensar, sem ler, sem escrever. Onze dias de exílio. De jejum forçado. De desmaio. De coma profundo. De olhar perdido em direção nenhuma. Vontade apenas de fazer algo bem burocrático, bem automático, bem carimbático, bem sorumbático.

Foram Onze dias. Nem longos nem curtos. A morte não tem medida, não usa relógio. O bom leitor e aprendiz de escritor morto pensa em tudo aquilo que nunca poderia ter acontecido e jamais acontecerá.

Foram Onze dias debaixo da terra. As idéias morreram. As palavras definharam. Não há conexão. Não há linha. Não há jeito. Não há forma. Não há como. Não há nada. Morte indolor. Morte sem anúncio. Morri. Onze dias.

Foram onze dias perdidos. Três onze no fundo do mar. onze dias no deserto. onze dias sepultado. onze dias crucificado. onze dias arruinado. onze dias falido. onze dias esmagado por todos os pesos.

Foram Onze dias. O motivo não vem ao caso. onze dias de azar. onze dias vagando pela terra, como os lêmures, querendo vingar-me do mundo. onze dias sem inspiração, se é que existe inspiração. onze dias sem projetos, se é que projetos fazem algum sentido.

Depois de onze dias, um passarinho começou a cantar,minha net voltou, minha inspiração também, conceitos revistos, novas posturas adotadas, enfim voltei a ser o velho Joscires.

Dizem que um é pouco, dois é bom, três já é demais,imaginem Onze. Bem na teologia os Profetas no terceiro dia, ressuscita dentre os mortos, eu como sou muito pecador levei 11 dias para voltar a viver sem ter morrido de fato. Não se vive a morte impunemente. Não se morre à toa. Morrer durante três dias é tempo além da conta, e ficar sem ter sentido ou tesão para as boas coisas da vida é muito pior. Não morrerei de novo.

Bempara o desespero dosmeus leitores volto a escrever. Escravo da escrita, escrevo outra vez. Nem melhor nem pior do que antes. Onze dias estéreis trazem progressos insignificantes. O importante não é importante.

De repente... estava vivo. Onze dias foram o suficiente. É desagradável morrer. É imprescindível renascer. Não desejo a morte a ninguém. Mas a todos desejo que, mortos um dia, pelomenos ao décimoprimeiro dia venham contar o que aconteceu. Isso se não tiverem de fato morrido.

Desculpe pela paródia porém é forma mais lúdica que encontrei para explicar meu repentino sumiço deste blog..

Abraços a todos

Não Subestimem a Nossa Inteligência

Percebi que um dos assuntos da semana é, incrivelmente, a pauta de reivindicação de aumento "salarial" da classe política, em especial dos deputados FEDERAIS.

Interessante é que há dias, pouco antes das eleições, amaior cidade do País (São Paulo) mostrava ao mundo uma baita confusão entre policiais às portas do Palácio dos Bandeirantes, por ocasião das suas reivindicações salariais. Não discuto o ocorrido, mas sim o mérito das negociações, cada vez mais difíceis por parte de quem serve o público. Eu disse..."servir".De fato.

É público e notório, que o público urge por aumentos de vencimentos, em todas as categorias funcionais, especialmente as que prestam serviços essenciais.

Como várias vezes já comentei por aqui, todo o funcionalismo público seja ele de qual esfera for, há muito foi abandonado pela política salarial, comoé o caso de nossos funcionários municipais. Com exceção da elite lá de cima!

E num momento de crise financeira GLOBAL, em que só se fala em cortar gastos públicos, em fechar a torneira sempre escancaradamente aberta dos governos, num momento em que o próprio BIG BOSS acena com a possibilidade de corte do orçamento da união para ministérios de importância social indiscutível, como os da saúde e da educação, a elite legislativa tem a CORAGEM DE FALAR  EM AUMENTO DOS SEUS TÃO PARCOS VENCIMENTOS.

Ainda bem que temos duzentos milhões de reserva em dólares, não? pelo que vejo com algum destino já garantido. É demais.É o fim dos tempos mesmo.Só pode ser!

O Patotada!!, será que vocês SABEM O VALOR DO MÍNIMO?

Ah, sim , é bom que se diga: Ventilou uma estatística de que aumentou consideravelmente o número dos moradores de rua... no Brasil. Paradoxalmente a tudo que se fala, somos líderes em tudo! ´

No aumento "estatístico" dos medianamente remediados da fictícia explosão da classe média...que pelo que vejo mora na rua!

E ainda por cima subimos no IDH! tEM GENTE QUE FAZ MILAGRE MESMO.

Acordemos nós, os ingênuos trabalhadores e mantenedores dos impostos que vão ralo abaixo! E por falar em impostos, antes das eleições, ouvi na rádio, que  tinha um montão de candidatos... e candidatos a candidatos, bem como alguns de cadeiras vitalícias,  enrolados com o leãozinho.

Tenho uma dúvida: Da "parca"ajuda de custo para os congressistas se deduz imposto de renda? Ou ajuda não é salário? Ms se não é salário é o quê? doação? que também é tributada...ou não?

Será que é só pra nós?

E um deputado hoje ainda declarou: O que pedimos é pouco, valemos mais!

Brincadeira! Só um dilúvio para dar jeito nessa vergonha...

E ainda querem nos convencer de que trabalham pelo social...

E ademais esseaumentoé efeito dominó aumenta lá e imagina oque acontecerá aqui??

Continuem votando neles!!!

Nós simples mortais devemos nos preocupar com a propalada Crise Financeira?

Embora a crise econômico-financeira atual motive preocupação, principalmente em relação às conseqüências para os mais pobres, preocupo-me muito mais com turbulências de outra natureza, que só tendem a aumentar e terão impacto muito mais profundo. Isso porque estou convicto de que as crises ocasionadas pela reação da natureza aos nossos despautérios ambientais (embora negligenciadas pela maioria da mídia e da sociedade) aumentarão muito em freqüência, serão muito piores e terão efeitos mais duradouros que aquelas geradas pela criatividade burra de engravatados milionários.

Ao focarmos nossa atenção apenas nos aspectos econômicos da crise atual, estamos perdendo uma importante chance de discutir com coragem as bases insustentáveis da economia global. Ou seja, o modelo que se baseia no crescimento eterno e funciona no formato de um fluxo linear, que começa na extração de recursos naturais e termina na disposição de lixo. Mas não. O principal tema que domina as discussões é o temor da recessão, da queda no consumo, vendidas como monstros terríveis. Na verdade elas são, sim, monstros, mas apenas se aceitarmos este modelo. Por isto que é preciso analisá-lo e criticá-lo a partir de uma perspectiva externa, para fugir das amarras que ele nos impõe e mostrar suas incongruências.

Por exemplo, essa falsa necessidade de que é preciso crescer, crescer sempre, crescer a qualquer custo. Mas a economia não existe como algo que paira suspenso no vácuo (embora alguns financistas tenham lucrado muito vendendo esta idéia, antes que a bomba estourasse no colo de todos). Ela precisa de dois elementos básicos, além do trabalho humano: matéria-prima e energia. Como o suprimento destes é finito, simplesmente não há recursos naturais suficientes para sustentar um crescimento constante da economia.

Aliás, não há recursos suficientes nem mesmo para sustentar por muito tempo a taxa atual de consumo de recursos naturais, ainda que as economias permanecessem com o tamanho atual, sem crescimento algum. É até assustador, de tão simples e óbvio. Não há pirotecnia de argumentos tecnicistas que possam contradizer esta realidade inquestionável. Até uma criança pode entender isto facilmente (às vezes elas entendem melhor do que muitos adultos nas principais cadeiras das maiores universidades). Experimente. Dê a ela uma pilha de qualquer coisa, feijões, bolinhas, botões (que seriam os recursos naturais não renováveis) e proponha um jogo: "olha, toda vez que você quiser brincar ou ganhar um doce (os objetos de consumo), você tem que jogar no lixo um item". A criança trocará seus itens até que acabem, e só então irá abalar-se de verdade. Mas daí perceberá que os recursos finitos são justamente isso, finitos e, uma vez terminados, adeus consumo.

Diversos cálculos já foram feitos mostrando que o planeta não conseguirá suprir recursos naturais suficientes para sustentarmos taxas até mesmo modestas de crescimento até o fim deste século. Outros cálculos comparam a quantidade de recursos que consumimos a cada ano com aquela que o planeta é capaz de repor no mesmo período. Estas estimativas mostram que, a partir de meados dos anos 1980, passamos a gastar mais recursos naturais do que o planeta pode repor. Com isto, criamos um débito do futuro. Os responsáveis pela idéia usam uma metáfora, pela qual vão somando o consumo diário de recursos desde o dia primeiro de janeiro. Na data em que o uso acumulado iguala a quantidade que o planeta é capaz de repor ao longo do ano inteiro, chega-se ao limite que poderíamos ter consumido naquele ano. A partir daí, passamos a avançar nos recursos do futuro. E esta data tem chegado mais cedo a cada ano.

Ou seja, não estamos nem pagando e nem estacionando a nossa dívida, mas aumentando-a continuamente. Pior ainda, a própria quantia que descontamos a cada ano de nosso futuro também vem aumentando. É como se estivéssemos na mão de um agiota muito cruel, nós mesmos. Por isso que, ainda que toda a economia do planeta parasse subitamente de crescer e ficássemos estacionados no volume atual, mesmo assim, a Terra não agüentaria por muito tempo.

Qual a solução então? Bem, em primeiro lugar, seria necessário que houvesse sim uma estagnação do crescimento e uma recessão por algum tempo, até que as economias chegassem a um nível de consumo de recursos que fosse inferior à capacidade de reposição do planeta. "Ah, mas recessão gera desemprego e pobreza", dirão. Sim, é verdade, mas apenas se forem mantidos outros pressupostos e pilares desta estrutura sócio-econômica. Se houvesse distribuição mais eqüitativa da riqueza gerada, o problema seria menor. Mais, se o lucro e a produtividade não fossem os únicos parâmetros a guiar as atividades econômicas, mas sim a função social das mesmas, teríamos mais elementos positivos para combater o desemprego.

Por fim, e mais importante, o problema seria imensamente menor se a estrutura econômica não fosse calcada no consumismo, num sem-número de necessidades fictícias que foram sendo criadas nos últimos séculos e sem as quais convivemos sem grandes crises durante 99,9% do tempo em que estivemos aqui neste planeta.

Reduzindo-se a necessidade de satisfação dos desejos de consumo, reduz-se também a necessidade de dinheiro para adquiri-los, o que casa perfeitamente com uma distribuição mais eqüitativa da riqueza e com o foco voltado para a função social da produção industrial, agrícola e de serviços.

E se você acha a proposta muito radical, é bom lembrar que a crise ambiental já vem apresentando-se aos poucos. É um furacão Catarina aqui, um desastre de Nova Orleans ali, uma abertura do mar do Pólo Norte acolá. Não sabemos ao certo se a catástrofe ambiental virá na forma de uma batida abrupta contra o muro que afetará a todos (ou à maioria) de uma vez só ou se seguirá de forma mais gradual e dispersa, como tem acontecido, intensificando-se aos poucos. Porém, qualquer que seja o processo, logo mais não será questão de escolha, seremos forçados a uma redução drástica no consumo. Dependendo da magnitude da crise, talvez sejamos obrigados até mesmo a mudar para um estágio pré-industrial.

Não defendo agora um retorno ao estilo de vida pré-industrial como solução. Primeiro porque não sei se seria preciso ser tão radical. Segundo porque acho que nunca conseguiremos isto por vontade própria, por mais que fosse interessante do ponto de vista ambiental. Teremos sim (por bem ou por mal) que frear muito o consumismo, reduzir paulatinamente o que achamos ser necessidades (e no geral não são), mudar a nossa relação com o meio ambiente, repensar nosso estilo de vida, aumentar muito a reciclagem e tentarmos ir equilibrando por aí. Aqueles que começarem mais cedo estarão mais preparados e sofrerão menos (física e psicologicamente) com as mudanças que inevitavelmente virão. Bem, há outra opção.

A nossa extinção.

Concordam???